terça-feira, 5 de maio de 2009

Empreendedorismo, Competitividade e Crescimento Econômico: Algumas Evidências Empíricas

Muito embora ainda estivesse comemorando a aprovação de 3 artigos para o 3Es (evento de maior relevância da Divisão Acadêmica de Estratégia em Organizações da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - ANPAD) que ocorrerá em Recife entre os dias 21 e 23 de junho, submeti 3 artigos para o EnANPAD. Entre os artigos, estou torcendo para a pesquisa recente que ando desenvolvendo sobre as relações entre empreendedorismo e competitividade. Algumas conclusões interessantes obtive nesse artigo que espero sua aprovação. Em outra oportunidade disponibilizarei o artigo no blog, mas antes apresento o resumo do artigo. Forte abraço.
Apesar do crescente interesse sobre o empreendedorismo, existe uma lacuna no que se refere à existência de análises de sua relação com o crescimento econômico e a competitividade. De um lado, o relatório do Global Entrepreneurship Monitor - GEM lançou a hipótese da curva "U", onde propõe que essa relação tem o seguinte formato: a taxa de empreendedorismo dos países é decrescente à medida que se eleva a renda per capita até certo ponto, a partir do qual, esta passa a crescer com o avanço da inovação. Concomitantemente, o estudo tratou de outra relação importante, que é entre empreendedorismo e competitividade. O objetivo deste estudo é analisar a taxa de empreendedorismo total, medida pelo GEM, avaliando-se quais as variáveis que possuem maior relevância na explicação do empreendedorismo. Para atingir tal fim, essa pesquisa utilizou uma amostra de 64 países, com dados transversais referentes ao ano de 2007, sendo construídos dois modelos econométricos, utilizando-se, na estimativa das equações, o Método de Mínimos Quadrados. Os resultados encontrados indicam que a relação entre empreendedorismo e níveis de renda segue o padrão da curva “U”. Por outro lado, embora vários autores identifiquem que fatores de competitividade são importantes para o desenvolvimento do empreendedorismo, a pesquisa não chegou à mesma conclusão. O estudo aponta que esses aspectos parecem atuar em direção contrária à promoção do empreendedorismo nos países menos ricos e maneira insignificante nos países mais ricos.

2 comentários:

Laguardia disse...

Amigos.
Não sou jornalista nem escrevo bem.
Sou aposentado, recebendo do INSS e tendo o IR descontado na fonte. Não recebo as benesses de nosso apedeuta mor que tem pensão do INSS acima do máximo, isento de Imposto de Renda por se achar perseguido político, ou melhor, por se anistiado político.
Luto com as armas que tenho que é um blog, como forma de desabafar ao ver tanta roubalheira, falta de ética, falta de honestidade e principalmente falta de vergonha na cara desta quadrilha que tomou de assalto o Palácio do Planalto.
Quero convidar os amigos a participarem da minha forma de protesto, o blog Brasil – Liberdade e Democracia - http://brasillivreedemocrata.blogspot.com/.
Se não levantarmos nossas vozes em protesto o que será deste país para nossos filhos e netos?
Agora é a hora de lutarmos por uma pátria livre democrática, e sobre todo com governantes honestos e éticos.

Laguardia disse...

Eduardo

Muito obrigado por seguir o Blog Brasil Liberdade e Democracia.

Seus comentários são benvindos.

Depois que me aposentei, pensei, e ainda penso, em voltar a estudar e conseguir o mestrado que sempre quiz em administração, mas por estar trabalhando em empresas de mineração longe de centros universitários, nunca tive a oportunidade.

Dentro desta idéia, cursei, como disciplina isolada, uma matéria de empreendedorismo aqui na UFMG com o Prof. Vidal.

Este é um tema muito importante para o Brasil, e que está relegado a um segundo plano.

As pessoas desconhecem os princípios do empreendedorismo, e muitas idéias boas que poderiam ser aproveitadas não o são devido a esta falta de conhecimento.

Não vejo também muita divulgação de empresas que financiem novas idéias ou que as estejam buscando.

Na sua idéia, a que se deve isto no Brasil?